sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Das coisas que me irritam...





Há alguns anos atrás havia uma série que adorava ver "Sai da baixo!" Um dos actores era o Miguel Falabella que fazia de Caco, uma das frases que o Caco mais usava era "odeio gentxi pobri!" (este é o meu sotaque brasileiro) "horror à pobri!". Pois bem meus caros padeço do mesmo!
Tenham calma, não me atirem já os tomates podres nem os ovos, quando me refiro a gente pobre refiro-me à pobreza de espírito, pobreza na educação. Odeio gente pobre!
Odeio gentinha que o que lhe dá mais gozo é de falar da vida alheia, adoram uma boa fofoca, adoram saber que o outro se encontra mal, está triste, adoram saber que a vida dos outros lhes corre mal, dá-lhes gozo, eleva-lhes o ego! Mas atenção como toda a sanguessuga que se preze gosta de fazer de conta que "tem pena" que o outro se encontre assim "Oh coitadinho!", "Oh se eu pudesse ajudar!", "Oh tão triste!" é razão para dizer,

¿Por qué no te callas?

Sim porque "pena" destas ninguém precisa!
Concluo que para além de lhes dar alguma satisfação esta pena maléfica, também lhes serve de entretenimento, pois a sua própria vida não é suficientemente interessante para apenas falarem dela.
Algumas pessoas defendem-nos dizendo coitados não têm educação...errado! Não é necessário ser-se dr. ou eng. para se ter educação, é preciso sim, terem-se alguns princípios e esta educação não se aprende nas escolas mas é-nos transmitida por quem nos educa, normalmente os nossos pais.
Infelizmente o nosso mundo está minado por estas espécies raras de sanguessugas que se alimentam da desgraça alheia, seja no trabalho, no grupo de amigos e até mesmo na família. As pessoas esquecem-se é que a vida é curta demais para se perder tempo com este tipo de mediocridade.
Li algures,

"You don't tell, I don't ask!"

Acredito piamente que é o melhor lema a seguir.
E é nestas alturas que prefiro viver na minha completa ignorância.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Pobreza escondida ou Novas técnicas de estorsão de dinheiro...




Daquelas situações que achamos que só acontecem aos outros ou só vemos nos filmes...
Estava eu a trabalhar quando entra uma rapariga com um ar triste, tímido e que em tom de sussuro, me diz chamar-se Catarina, ter 28 anos e que estava desempregada.  Nas mãos trazia alguns livros, vi que um era do Masterchef os outros não consegui ver, disse ter sido uma empresa a dar-lhe para que pudesse ganhar algum dinheiro. Naquele momento não tinha dinheiro comigo e educadamente disse-lhe que não estava interessada...foi nesse preciso momento que desata a chorar, mas um chorar compulsivo, de desespero...eu entrei em estado de choque, sem saber o que fazer, dizer...uma coisa é quando estamos perante uma pessoa amiga e que sabemos que um simples abraço pode confortar, agora, uma desconhecida... o que é suposto fazer, dizer?
Sei que aquela fração de minutos me pareceram horas, fiquei completamente colada à cadeira! Assim que ela foi embora chamei logo a minha colega, ainda fomos ver se a encontrávamos mas desapareceu por completo.
Agora dou por mim com a cabeça cheia de perguntas... Será que era mesmo verdade? Será que me estava a tentar extorquir dinheiro? Será que estava alguém lá em baixo e se ela não levasse dinheiro lhe batia?
Será que era desespero?
Só espero que fique bem.

Não consigo tirar aqueles minutos da cabeça, sei que vou ficar a pensar nisto durante vários dias e sinto-me tão mal....

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Das injustiças deste mundo...

O caso do miúdo de 16 anos, assaltante, que foi morto durante a fuga à polícia, está a dar-me cabo da paciência!

Mas anda tudo louco?
Um miúdo de 16 anos envolvido num assalto, logo era um assaltante e agora a culpa é do polícia? Então e os pais no meio disto tudo onde é que andam?
Ah o pai estava preso, e a mãe? Não era suposto proteger o filho? Não era suposto evitar que o filho seguisse os passos do pai? E agora ainda diz "Os responsáveis vão ter de pagar. Nem que isto dure muitos anos. Irei até às últimas consequências para que se faça justiça" Então e se tivesse sido o filho a matar o polícia????
Ah era um miúdo muito querido... E????? Não estava a assaltar? Por serem boas pessoas têm o direito de roubar?
E a culpa é do polícia que estava a trabalhar? Então mas os polícias servem para quê? Para proteger os assaltantes?
Alguma coisa está errada e não me parece que seja o polícia...
Realmente é muito difícil ser-se polícia neste país.

Aliás é bom que as aulas comecem rapidamente porque estou farta de ver notícias deste género a envolverem miúdos em mortes e em situações impróprias para estas idades.

Ó tempo volta para trás! A minha juventude foi muito normalzinha e agradeço aos meus ricos pais pela educação que me deram, sim porque ser pai, não é só mandá-los cá para fora, é saber dar-lhes educação! E façam um favor a esta sociedade que está cada vez mais podre, se não vos apetece dar educação, não tenham filhos!